397 Views |  Like

O casulo

Neste mês em que se comemora a Páscoa, a transformação por si só, tema de inúmeros artigos já publicados neste editorial, achei por bem reciclar um pouco os nossos conhecimentos a respeito desta data, mas não sob o cunho religioso, porém, por meio de uma metáfora, que, seguramente, muitos de vocês já ouviram falar. Vamos relembrar a história da borboleta.
“Certo dia, um homem sentado em um banco de jardim observava um casulo e notou nele uma pequena abertura pela qual a borboleta, em formação, forçava a sua passagem. Após algumas horas de esforços, o homem observou que não existia mais nenhum progresso, dando a ideia que as forças da borboleta haviam findado e ela já tinha ido o mais longe que podia, e não mais conseguiria sair do casulo. Penalizado com a cena, o homem resolveu ajudar a borboleta: pegou uma tesoura e cortou o resto do casulo, libertando-a, assim; contudo, reparou que seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amassadas. O homem continuou a observar a borboleta, esperando que a qualquer momento ela saísse voando, o que nunca aconteceu. A pobre borboleta passou o resto de sua vida rastejando seu corpo murcho e de asas encolhidas”.
Desta história podemos concluir que o homem, na ansiedade de ajudar a borboleta acabou interrompendo o seu ciclo biológico, pois não sabia que era o casulo apertado, o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura, a maneira que o Criador fez para que o fluido do corpo fosse para as suas asas, de modo que ela estivesse pronta para voar assim que se libertasse do casulo.
Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida, mesmo porque se não tivéssemos obstáculos para vencer seríamos eternos cadáveres adiados, ou, para quem se lembra do editorial da edição 199, fevereiro 2012, seríamos eternos piruás. Lembre-se que a transformação tem de vir de dentro para fora, que o esforço tem que ser seu e que é necessário sair da zona de conforto. Para encerrar, nunca, nunca mesmo, ajude ninguém que não tenha lhe pedido ajuda.

Um forte abraço e feliz Páscoa

Claudinei Luiz

Compartilhar isso

Comentário

Comentários