385 Views |  Like

Ligia Estevam: ela fala do Núcleo Ação Social da ACISCS

Há menos de um ano, a psicóloga clínica, pós-graduada em Acupuntura, decidiu dedicar-se às causas sociais.
Esposa do atual presidente da Associação Comercial e Industrial de São Caetano do Sul, Ligia Estevam tem se dedicado exaustivamente a fazer a ponte entre os empresários do município (com o maior IDH do País) e pessoas carentes e, em pouco mais de seis meses, encabeçou importantes campanhas que renderam números expressivos de arrecadação, como a Campanha do Agasalho – duas toneladas e meia, e a Campanha de Doação de Alimentos – uma tonelada.
Agora, no mês dedicado às crianças, o foco é mais uma vez ‘bater a meta’, angariando brinquedos para fazer desta data um dia inesquecível para centenas de pequenos carentes.

Por Mariana Fanti

MercNews – Como surgiu o convite para presidir o Núcleo?
Ligia Estevam – Meu marido, Walter Estevam Junior, foi eleito presidente da Associação Comercial e Industrial de São Caetano – Aciscs, e eu percebi uma grande oportunidade de criar um segmento voltado para a ação social. Na ocasião conversamos e ele prontamente aceitou a ideia, visto também acreditar na importância da responsabilidade social do empresariado. Após um ano à frente da entidade, e depois de colocar a Associação em ordem, em ato pioneiro na história das associações comerciais e industriais do Grande ABC, foi criado o Núcleo de Ação Social da Aciscs. Na ocasião a entidade estava comemorando 79 anos e foi realizada uma palestra com a empresária Luiza Helena Trajano, na qual iniciamos a nossa primeira campanha, que foi a de arrecadação de alimentos.

MN – Como vê este desafio?
LE – O desafio de presidir o Núcleo é, na verdade, uma oportunidade de amenizar a situação de carência de quem está ao nosso lado. Eu acredito que quando você é provido da generosidade do grande Arquiteto do universo, você tem o dever de retribuir. E, quando o que te norteia é um mundo bem melhor, tudo conspira para que você alcance o objetivo.

MN – Quais são as metas para curto e médio prazo?
LE – O Núcleo de Ação Social da Aciscs tem como meta a realização de programas e projetos para a transformação social. Em curto prazo estabeleci a melhoria na qualidade de vida dos mais necessitados, por meio da sensibilização dos associados, da sociedade como um todo, da importância em ajudar os nossos semelhantes a superar suas dificuldades, o que vem sendo realizado por meio das campanhas como arrecadação e distribuição de alimentos, agasalhos e brinquedos. Em médio prazo temos um projeto para criar oportunidade de geração de renda, para que as famílias tenham oportunidade de inserção no processo conhecido como Solidariedade Inclusiva, meio pelo qual, num primeiro momento, recebem o incentivo para começar a produzir e posteriormente comercializar o que será seu próprio sustento.

MN – Com qual objetivo o Núcleo de Ação Social foi criado?
LE – O Núcleo de Ação Social da Aciscs foi criado a partir da compreensão do respeito que devemos ter com tudo que nos cerca, com o objetivo da responsabilidade social, e premissa de poder dar assistência à população menos assistida do nosso município.

MN – Comente sobre os desafios de presidir o Núcleo.
LE – O caminho solidário a ser percorrido no Núcleo de Ação Social da Aciscs é extenso, mas, acredito que tudo dentro do seu tempo será realizado.

MN – Como é composta a diretoria do Núcleo, caso exista?
LE – Não existe diretoria. O Núcleo é composto por sete voluntárias: Ligia Estevam, Denise G. Oliveira, Solange G. Carvalho, Regina Marinotto Aquilio, Sonia Sodré, Neusa Mello e Elisabete Zorzett.

MN – Qual a importância de sua criação para a cidade?
LE – Apesar de São Caetano ser a cidade com melhor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do País, ou seja, 0,862, divulgado pelo Programa das Nações Unidas (PNUD), da Organização das Nações Unidas, em 2013, confesso ter me surpreendido com o universo de carência no município. E foi essa realidade que nos encorajou a criar o Núcleo de Ação Social da Aciscs, com o desafio de buscar melhores condições de vida à população menos assistida.

MN – Duas campanhas já fizeram sucesso: Agasalho e Doação de Alimentos. Comente sobre os números.
LE – Em três meses arrecadamos três toneladas e meia de alimentos e agasalhos. Na Campanha de Alimentos foi arrecadada e distribuída uma tonelada de alimento não perecível e, na do Agasalho, duas toneladas e meia de roupas e calçados (4.520 peças). Algumas passaram por restauração e lavagem e os calçados foram devidamente embalados em sacos plásticos. Tivemos todo um cuidado para que cada peça chegasse em perfeito estado para uso imediato. A doação dos alimentos e agasalhos foi entregue ao Fundo Social de Solidariedade, para serem repassados às famílias cadastradas nos programas sociais da Prefeitura de São Caetano, bem como instituições beneficentes, como Lar Bom Repouso, Grupo Luz, Lar Anália Franco e Projeto Irmãos de Rua.

MN- E para o Dia das Crianças. Como está sendo a adesão?
LE – Estamos trabalhando esta Campanha, com uma grande e diversificada adesão de participantes na arrecadação dos brinquedos e livros, entre eles comerciantes, escolas, faculdades, empresas, editoras de livros, munícipes de São Caetano. Contamos também com o apoio na parte de alimentação pelas empresas Adria, Full House e Santa Pasta. Na área de entretenimento temos o Secs São Caetano, Tiro de Guerra, Guarda Civil Municipal de São Caetano, quatro Grupos de Escoteiros de São Caetano (Alvorada, João Ramalho, São Caetano e São Francisco de Assis), Matilha em Harmonia Adestramento de Cachorros, entre outros. Enfim, todos engajados para que essa ação venha a repetir o sucesso das anteriores. Creio que o sucesso das campanhas que o Núcleo de Ação Social da Aciscs vem promovendo ocorre pela nossa intenção que é de responsabilidade social, promoção do bem e transparência de nossas ações.

MN – Quais ações futuras já estão programadas?
LE – Na área social sempre contamos com a empatia e solidariedade para o sucesso do projeto. Dessa forma, a logística precisa ser bem estruturada e iniciada com antecedência. Por exemplo, em paralelo à campanha do Dia das Crianças, já estamos engajadas na campanha do Natal.

MN – Acredita que as pessoas estão mais solidárias?
LE – Sim, o brasileiro por si só é um povo generoso e quando se vê frente à dificuldade do seu semelhante, a necessidade de ajudar se faz premente. Hoje vivemos num mundo onde o compartilhar se faz presente, e vem ganhando uma amplitude inimaginável. E, quando surgem campanhas que direcionem as pessoas sobre como ajudar, a generosidade genuína se faz presente e se transforma, consequentemente, em doação.

MN – Existe alguma parceria com a Prefeitura?
LE – Em maio deste ano doamos para o Fundo Social de Solidariedade de São Caetano do Sul 520 quilos de alimentos. Na ocasião, a primeira-dama, Denise Auricchio, ressaltou que os alimentos chegavam em bom momento, porque o Fundo Social estava desde outubro de 2016 sem distribuir cestas básicas, por falta das mesmas, em virtude da transição de governo. Na ocasião, 50 camisetas com impressão digital artística do logo do Fundo Social também foram doadas, para serem usadas pelas voluntárias, nas ações do Fundo Social. Em julho, duas toneladas de roupas foram entregues ao Fundo, resultantes da Campanha do Agasalho.

MN – O que acha do empresariado de São Caetano pensar em ações filantrópicas, além do lucro de seu próprio negócio?
LE – Percebo que as ações de filantropia têm grande importância para nossos associados. Vários já atuam isoladamente em ações de responsabilidade social, e muitos nos prestigiam cedendo o espaço de seus estabelecimentos, como ponto de arrecadação, ou mesmo fazendo doações. Na atual campanha do Dia das Crianças estamos com mais de 70 pontos de arrecadação, e contamos com apoio do ParkShoppingSãoCaetano, que tem grande engajamento na área de responsabilidade social, inclusive o projeto Multiplique o Bem. Vale lembrar que hoje a Multiplan é uma das maiores empresas de shoppings do País.

MN – Quem se interessar a doar, como deve proceder?
LE – As doações podem ser realizadas por pessoa física ou jurídica, em qualquer época do ano. Aceitamos doações de alimentos não perecíveis (com prazo de validade de no mínimo um mês para o vencimento); vestuário e calçado infantil e adulto; cobertores; roupas de cama e banho; produtos de limpeza e produtos de higiene pessoal.

MN – O Núcleo aceita voluntários? Em caso positivo, como os interessados devem proceder?
LE – Acreditamos que a ação social deva ser de livre arbítrio e, desta forma, está aberta a todos os interessados em contribuir e praticar a filantropia, sendo por meio de doações, voluntariado, apoiadores e patrocinadores. Nos dois casos – em doar ou em voluntariado – os interessados poderão entrar em contato através do telefone 2888-3400, ramal 3, ou pelo e-mail:
acaosocial@aciscs.com.br

Compartilhar isso

Comentário

Comentários