23 Views |  Like

Descubra os mistérios e os encantos de Marrocos

País soberano localizado na região do Magreb, no norte da África, geograficamente, Marrocos é caracterizado por um interior montanhoso acidentado, grandes extensões de deserto e um longo litoral ao longo do Oceano Atlântico e do Mar Mediterrâneo.
Com população de mais de 33,8 milhões de pessoas e área de 446.550 km², sua capital é Rabat, mas, a maior cidade é Casablanca, imortalizada no filme de mesmo nome, com os inesquecíveis Humphrey Bogart e Ingrid Bergman. Em 1912, Marrocos foi dividido em protetorados franceses e espanhóis, com uma zona internacional em Tanger, e recuperou a sua independência em 1956.
Marrocos é uma monarquia constitucional, com parlamento eleito, tendo o rei vastos poderes executivos e legislativos, especialmente sobre os militares, a política externa e os assuntos religiosos. O poder executivo é exercido pelo governo, enquanto o poder legislativo é investido tanto no governo como nas duas câmaras do parlamento, a Assembleia de Representantes e a Assembleia de Conselheiros. O rei pode emitir decretos chamados dahirs que têm força de lei. Ele também pode dissolver o parlamento depois de consultar o primeiro-ministro e o presidente do Tribunal Constitucional.
A cultura marroquina é uma mistura de árabes, berberes nativos, africano subsaariano e influências europeias. A religião predominante é o Islã e as línguas oficiais são o árabe e tamazight. O dialeto marroquino, referido como Darija, e o francês também são falados extensamente. O país tem a quinta maior economia da África e, no Brasil, ficou muito conhecido pela novela O Clone, levada ao ar há alguns anos.

Casablanca

Maior cidade do país, com 5,5 milhões de habitantes, contando com o maior porto e ainda o maior centro industrial e comercial de Marrocos, Casablanca é grande e cosmopolita, com bares, shoppings e restaurantes.
As atrações são imperdíveis e, estando lá, comece o tour com o Parc de La Ligue Arabe, um jardim imenso com avenidas cercadas por altas palmeiras, fícus, arcadas, pérgolas e flores. Nesse local, situa-se a Catedral du Sacré Coeur, que apesar de não ser mais usada, é um exemplo excelente de arquitetura mourisca. Indo para o norte, caminhe pela velha Medina até o Place Mohammed V e a Place des Nations Uniones, lugares centrais de Ville Novelle, a nova cidade de Casablanca. Veja a arquitetura francesa complementada pelo design mourisco na Place Mohammed V, com a praça protetorada.
Aprecie ainda a visita à Mesquita de Hassan II (sexta não é um dia recomendado para visitas), mas a entrada custa 12 euros e há tours em vários idiomas, inclusive português. Com arquitetura do francês Michel Pinseau, a Mesquita está situada em uma área com vista para o Atlântico, uma construção belíssima com capacidade para 25 mil fiéis. Seus minaretes são os mais altos do mundo, com 210 metros. É uma enorme obra-prima arquitetônica e o segundo maior edifício religioso do mundo.
Casablanca conta com voos diretos de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Fez

Segunda maior cidade do Marrocos, com 1.100 mil habitantes, Fez foi a capital do Marrocos em várias ocasiões. Juntamente com Rabat, Meknes e Marrakech, Fez é uma das chamadas cidades imperiais de Marrocos e conta com três partes principais e distintas: Fez el Bali (Fez, a Velha), Fez el Jdid (Fez a Nova) ou Ville Nouvelle (cidade nova) e o Méchouar. A primeira é a almedina, classificada como Património Mundial pela UNESCO desde 1981; a segunda foi projetada e construída pelos franceses durante o período colonial; a terceira é constituída pelo complexo do palácio real. Em termos administrativos, a cidade ocupa dois municípios: o de Fez, propriamente dito, dividido em seis arrondissements (bairros) e o de Méchouar Fèz Jdid, onde se encontra o palácio real.
A Medina de Fez é a maior do Marrocos, com 14 entradas e lá estava situada a mais antiga universidade do mundo, que deixou de funcionar no ano de 1500 (alguns cursos ainda são ministrados). O túmulo do fundador de Fez está na Medina, onde a entrada de mulheres é proibida. Fez é uma cidade super tradicional, pelo que se recomenda não usar roupas curtas, decotes etc.

Marrakech

Quarta maior cidade do país e das chamadas quatro cidades imperiais de Marrocos (as outras são Fez, Mequinez e Rabat) Marrakech é a que atrai mais turistas.
Com pouco mais de dois milhões de habitantes, é também conhecida como cidade vermelha. Marrakech tem uma parte antiga (ou medina), correspondente à cidade primitiva, cercada de muralhas, com ruas cheias de lojas e vendedores de rua, rodeada por bairros modernos, como Gueliz, o mais elegante deles, situado junto ao centro. A medina de Marrakech está classificada como Patrimônio Mundial, desde 1985.
A cidade é atualmente um importante centro econômico e um destino turístico de fama mundial e tem também o maior maior souk berbere, com os 18 souks especializados que se concentram na medina, onde se fabricam e se vendem os mais variados produtos, que vão desde os tapetes tradicionais berberes até produtos modernos. O artesanato ocupa uma parte significativa da população, e a sua produção destina-se principalmente aos turistas.
Não tão tradicional e nem tão grande como Fez, com muitos bares, cassinos e restaurantes, a Medina de Marrakech, em todo caso, também garante boas compras. A cidade é conhecida pelo famoso Jardin Marjorelle com Museu YSL e Praça Djemaa Elfna (repleta de artesãos, comida, bebidas e muitos cafés em volta), com a Mesquita Koutouba.
Uma boa pedida é fazer o banho com esfoliação no tradicional Les Bains de Marrakech.

Dicas de viagem

Ao chegar no aeroporto apresente seu passaporte e pegue um chip de celular, sem custo.
Só troque dinheiro em locais que entreguem recibo. 1 dólar é equivalente a aproximadamente 9 dihrans.
Uber funciona normalmente, os taxis são compartilhados.
Cassinos são encontrados em Marrakech, Tanger e Agadir.
Cartão de crédito é aceito em todos os locais.
Nas medinas e souks o turista tem que barganhar; os artesãos aceitam euros, dólares e dihrans.
Marrocos é um país seguro, mas, cuidado ao lidar com dinheiro, em público.

Compartilhar isso

Comentário

Comentários