63 Views |  Like

Feliz ano novo, ou será Feliz novo ano?

Apesar dos trancos e barrancos, finalmente estamos em janeiro, iniciando uma nova jornada de esperanças e, esperamos, de poucas decepções; e a MercNews completando 23 anos.
Não vou começar este artigo perguntando se você fez as suas simpatias de virada de ano, tais como, pular sete ondas, comer lentilha, sementes de romã entre outras, porque acredito que tenha feito; contudo, minha pergunta é se já fez a “simpatia das simpatias” ou seja, estabeleceu suas metas para o ano que se inicia? Se não fez, não se preocupe porque esta “simpatia” pode ser feita a qualquer momento. Portanto, ainda é tempo. Uma vez estabelecidas as suas metas, o seu maior comprometimento é não procrastinar. Lembra-se o que significa esta palavra?
– Eu esqueci, Claudinei. Por favor, explique.
– Claro. Procrastinar é deixar para amanhã o que você pode fazer hoje. Está lembrado? Então ponha em prática os comprometimentos estabelecidos ao pular as sete ondas, comer as sementes de romã, ou sei lá que simpatia você fez. Mas, conforme dizia, finalmente já estamos no Ano Novo, ou será Novo Ano? Você talvez não veja a diferença; contudo, pode ter certeza que existe, porque no vernáculo a ordem dos fatores altera o produto.
– Poxa, Claudinei, você já embolou o meio de campo, parece que esse ano vai ser complicado. Por favor, explique!
-Vamos analisar o seguinte exemplo: será que dá no mesmo dizer um carro novo ou um novo carro? Claro que não, pois um carro novo é aquele que sai da fábrica com 0 km rodado, ao passo que, um novo carro pode ser um carro que você trocou, mas não necessariamente 0 km. Entendeu?
– Quase. Mas, ainda não sei aonde você quer chegar.
– Essa é uma boa pergunta, porque eu também não. E já que não sabemos onde queremos chegar, será que faz diferença entrarmos num Novo Ano ou num Ano Novo?
– Pô, Claudinei! Pare de filosofar, porque assim ninguém vai ter paciência de ler este artigo até o fim.
– Desculpe! A ideia é fazer com que você pense um pouco, pelo menos no início do ano, pois a maior parte do tempo somos bombardeados por pensamentos, mas pensamos muito pouco.
– Claudinei, qual a diferença entre pensar e ter pensamento?
– Pensar depende de você, ter pensamento independe; então, a sua mente pensa o que quer e nem sempre é bom o que ela pensa. Mas, voltando ao tema, não mais importam as diferenças etimológicas existentes. Ao nosso ver, o conceito filosófico é mais importante nesse caso. O “Novo Ano” é a transformação cronológica do tempo, é imutável e independe de você. Já o “Ano Novo” é a sua transformação interior, totalmente mutável e dependente única e exclusivamente de você, embora processos externos possam interferir nas mudanças. Lembrando que toda e qualquer mudança inicia-se de dentro para fora e, às vezes, é enxergar o mesmo evento só que com novos olhos, ou seja, mudando o paradigma.
– Claudinei, tudo isso para dizer isso?
– Se você entendeu “isso”, tenho certeza que o seu “Novo Ano” será um excelente “Ano Novo”. Pelo menos é o que nós da MercNews desejamos a você, meu interlocutor, a todos os leitores, amigos e apoiadores.

Forte abraço.

Claudinei Luiz

Compartilhar isso

Comentário

Comentários