65 Views |  Like

Quanto vale a Viagem

De São Paulo a Ushuaia, num 4×4, três amigos descobrem muito mais que paisagens e novas rotas pelo caminho

Por Ivan Volpe

Viajar de carro por milhares de quilômetros no extremo sul da América é o sonho de muitos. Para alguns, o que implica a realização deste sonho é a disponibilidade de tempo. Para outros, o investimento necessário ou, até mesmo, ter ou não o equipamento necessário para passar dias na estrada, entre acampamentos selvagens gelados e a falta de estrutura encontrada pelo caminho. Para mim, que sempre agarrei cada oportunidade de vivenciar e fotografar paisagens e cenários surreais, todas estas questões vieram à tona, seguidas de um longo planejamento para que cada etapa da viagem pudesse ser vivenciada em sua totalidade.
Recebi o convite de dois grandes amigos para fazer parte desta aventura, onde o destino escolhido seria a cidade de Ushuaia, no chamado “Fim do Mundo” argentino, junto à terra do Fogo. O planejamento minucioso do dentista José Trancoso Tannous, idealizador do projeto, junto com o designer e fotógrafo Leonardo Nelli, acabou nos levando à rota que partiu da cidade de São Paulo, no fim de Novembro de 2017, passando pela costa sul brasileira até a Península Patagônica.
O desafio de viajar de carro por mais de sete mil quilômetros, cruzando rodovias, estradas de ripio, lama, areia e praia, acampando e atravessando a fronteira de três países vizinhos, por mais de quase trinta dias, parecia algo simples e delicioso, mas a verdade é que colocamos à prova nossos medos, sonhos e os limites físicos e emocionais de cada um.
Mas, sim, todo o esforço foi realmente compensado! Não simplesmente pela magnitude da experiência de observar a transição da paisagem, que gradativamente troca de cor a vegetação, eleva montanhas e transforma a brisa quente em ventos vorazes de temperatura negativa. Mas, principalmente, pela força que nos muda ao conhecermos pessoas e culturas diferentes. Estas, que tanto nos tocam, emocionam e nos fazem agradecer o que temos, o que somos.
Foi um prazer inigualável encontrar pessoas fantásticas pelo caminho, dividir a companhia e diversas histórias divertidas nos jantares e cafés da manhã pelos campings e hostels, nos quais nos hospedamos. Também foi inesquecível encontrar andarilhos, ciclistas, aventureiros e outros turistas que, mesmo seguindo rotas similares às nossas, descreviam seus sonhos de forma tão intensa e distinta, como morar livremente pelo mundo, caminhar sem destino na estrada, seguir para onde quer que o vento os levasse.
As amizades que trazemos na bagagem somam muito mais às nossas vidas do que os souvenires comprados pelo caminho. O que realmente vale em uma viagem dessas não são as paisagens surreais e tão belas que arrancam lágrimas, mas, sim, o crescimento pessoal que nos é oferecido pelo contato humano, as conversas junto ao fogareiro, as ideias e sentimentos trocados a cada olhar. Toda viagem vale a pena, e esta também estará registrada em minha alma e em meus cartões de memória, palpável e viva, por toda a minha vida.

Ivan Volpe é fotógrafo, designer gráfico e escritor.
Para acompanhar: @ivanvolpephoto (Instagram)

Compartilhar isso

Comentário

Comentários