19.3 C
Santo André
18 abril,2021, domingo
Home MercNews Artigo PRISÃO DOMICILIAR – pânico – depressão

PRISÃO DOMICILIAR – pânico – depressão

Todos os nascidos após os anos 30, em especial depois do término da Segunda Guerra Mundial, jamais imaginaram que um dia iriam ser partícipes da Terceira Guerra Mundial (ainda não reconhecida por nenhum país). Só que desta vez o inimigo é invisível, imperceptível, volátil. Um vírus mortal surgiu para dizimar significativa parcela da população mundial. Nenhum país, nenhum distante rincão ficará imune aos devastadores efeitos da covid–19. Os mais pessimistas (realistas?) estimam que um terço da humanidade será seriamente afetada. Uns diziam que a “a vida imita a arte”, outros afirmavam “a arte imita a vida”.

Claúdio Ptolemeu, Charles Robert Darwin, Carl Nilson Lenaeus e tantos outros, observando a Natureza (a vida), buscaram explicar os mistérios do universo e a humanidade se beneficiou grandemente com suas “descobertas”. As artes foram muito beneficiadas. Enquanto alguns se dedicavam às artes, à filosofia, às ciências naturais, outros simplesmente guerreavam. Estes buscavam o poder, para, através da ofensiva militar, derrotar opositores e conquistar territórios, amealhando fortunas às custas da vida de milhares de indefesos cidadãos. Nessas investidas, difícil dizer quem corria mais risco de morte: os pacatos e desarmados cidadãos ou os integrantes das forças militares, super armados e treinados.

“Poeta da hora eu sou
Dia sim, dia não
Prosador nato que a brisa levou
Nas asas da nova paixão
Contista no primeiro capítulo naufragou
Foi salvo na segunda canção
Na terceira modinha mergulhou
Na quarta valsa, um esbarrão
Lá pelas quintas, tropeçou
Adernou, se inclinou,
Soçobrou, afundou…”

Desde janeiro de 2020 a humanidade passou a reconhecer o real valor dos trabalhadores dos serviços médicos, enquanto se espantavam com a incapacidade dos gestores públicos para lidar com o novo e temível Inimigo Público Number One: o coronavírus (SARS-CoV-2). (*)

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a maioria (cerca de 80%) dos pacientes com covid-19 podem ser assintomáticos ou oligossintomáticos (poucos sintomas), e aproximadamente 20% dos casos detectados requer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória, dos quais aproximadamente 5% podem necessitar de suporte ventilatório.

Caramba! Considerando que a população global seja em torno de 7,8 bilhões em 2020, as notícias dando conta que ocorrem em torno de mil mortes diárias é alvissareira. Todos os dias recebemos informações da morte de personalidades públicas, de amigos e conhecidos que faleceram devido complicações decorrentes da covid – 19. Como lidar com tudo isso?

“Sob a poeira do tempo, jaz imóvel tudo que outrora reluzia, imponente.
Lembranças esparsas ao vento, epopeias submersas na lama do esquecimento.
Quantas batalhas, derrotas e vitórias, espargidas ao vento.
Agora, sozinho no obrigatório isolamento social e familiar,
meu lamento é por tudo que deixei de fazer.
Imperdoável adiamento. A locomotiva ficará imóvel,
os vagões permanecerão estacionados,
mas os trilhos continuarão por muitas décadas.”

Juares de Marcos Jardim, o Sacy Pererê do Grande ABC é WebRepórter ABCD Rádio Livre. Escritor, historiador e percussionista

Previous articleREINVENTANDO a si mesmo
Next articleO QUE fazer…
- Advertisment -

Most Popular

Governo paulista anuncia fase de transição, reabre comércio e permite cultos em SP

Medida vale a partir de domingo (18), inclusive no Grande ABC. A partir do dia 24, restaurantes, salões de beleza e academias também poderão...

Prefeito Orlando Morando recebe visita do novo comandante da PM no Grande ABC

Durante o encontro com o coronel Gilson Hélio, chefe do Executivo  reafirmou compromisso de intensificar ações integradas entre a GCM e a Polícia Militar. O...

Paulo Serra se torna vice-presidente de Finanças Públicas da Frente Nacional de Prefeitos

Prefeito de Santo André foi eleito nesta quinta-feira em reunião virtual da entidade.   Aumentando seu protagonismo no cenário nacional, não apenas como referência no combate...

Santo André cria lei e condomínios têm o dever de comunicar maus-tratos a animais

De autoria da vereadora Dra. Ana Veterinária, medida é batizada de Lei do CÃOdomínio. Síndicos ou administradores de condomínios residenciais e comerciais de Santo André deverão...

Recent Comments

Open chat
1
Olá 👋
Podemos te ajudar?